Uma história de amor entre Secretariado, Docência e Jefferson Sampaio

 


Desde muito cedo, eu já namorava a docência, tínhamos um caso de amor excepcional. Lembro de quando, muito novo, ajudava as crianças da rua nas tarefas de casa. Lembro quando eu dedicava horas preparando a Escola Bíblica Dominical para as crianças da igreja que eu frequentava. Lembro que quando os colegas de sala tinham dificuldades nos conteúdos, recorriam a mim e pediam ajuda. E era algo natural, eu queria ajudar!

Na adolescência eu conheci o secretariado e comecei a viver uma nova paixão. A docência se mantinha em meu peito, afinal havia me presenteado com uma série de memórias memoráveis.

E foi no primeiro semestre de faculdade que a docência voltou à tona, foi nele que eu decidi que seria professor, um professor da área de secretariado.

Yvanack e, posteriormente, Lucineide Fontinele apresentaram-me à docência aplicada ao secretariado e nela eu me encontrei enquanto sujeito.

Ao decidir ser docente, comecei o meu processo de automentoria. Eu criei um caminho para chegar à docência. Tudo estava bem nítido para mim: 2012 eu encerro a faculdade, 2013 encerro a especialização e em 2014 entro em sala de aula. No TCC falei de docência. Nos eventos da faculdade, eu participava das oficinas pedagógicas. E tudo foi caminhando, eu tinha foco, sabia que ia dar certo. E deu!

No dia 23 de janeiro de 2014 eu entrei em sala de aula, como professor temporário. Dia 29 de julho de 2014 eu tomei posse como Professor EBTT de Secretariado no Instituto Federal de Brasília – IFB.

Desde então, vivo o sonho de ser eu mesmo, de ser professor e aprendiz da vida, de tocar os corações com o que eu sei fazer de melhor que é ajudar as pessoas a serem mais.

Parabéns a você que, assim como eu, escolheu a docência como projeto de vida.

Que tenhamos forças para enfrentar os dias difíceis e encontrarmos ânimo para seguir em frente, contribuindo para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Feliz Dia da Professora e Do Professor!

Comentários