Sobre contágio energético positivo: um breve relato sobre o X Encontro Nacional dos Estudantes de Secretariado



Existe fogo no secretariado. Um fogo quente que ateia calor até nos corações mais gelados. Um fogo que não se apaga, renasce, reaviva diariamente. Um fogo que mesmo em meio a desesperança, pulsa forte e aquece, inquieta. Esse fogo é jovem, ousado, diferente, informal, de excelência e de plenitude.

Durante 4 dias, tive a oportunidade de me emocionar várias vezes, sorrir, cantar, dançar, fazer novas amizades, conhecer amigos e colegas de redes sociais, jogar prosa fora sobre a vida e pensar um pouquinho sobre o secretariado. Isso tudo aconteceu durante o X Encontro Nacional dos Estudantes de Secretariado - X ENESEC, que aconteceu na Universidade Federal de Pernambuco, em Recife. Os organizadores do evento foram discentes do secretariado que atuam dentro do Diretório Acadêmico do curso da UFPE.

O evento contou com a participação de discentes, docentes e profissionais de secretariado de todas as regiões do Brasil e possibilitou espaços de diálogo e debate sobre a profissão, a vida acadêmica e a vida. Isso mesmo, foi tudo muito vivo, intenso e edificante. As paredes da Universidade suavam vida, as falas incentivam a vida, as conversas eram vivas, os sonhos e anseios também eram vivos. Tudo fazia sentido, nada fugia do amor à vida digna de ser vivida, por secretárias e secretários, profissionais e docentes da área. E energias rolaram.

O evento começou com uma apresentação cultural de mandacaru, onde tudo girava em torno da renovação de energias. Parecia que aquele grupo entrou ali para fazer uma limpeza, limpeza das descrenças, dos desafetos, das desesperanças e dores da vida, dos perdões que não foram liberados, tanto para os outros como para si, e de todo resquício de sofrimento causado por algum tipo de violência acadêmica; e com isso, preparar-nos para uma imersão em uma onda energética de tamanha força positiva que não sairíamos de lá da mesma forma. Sairíamos diferentes, saímos renovados. Foi um evento, literalmente, de cura. 

Vi pessoas descrentes da profissão retomando o fôlego, pessoas sendo contaminadas com ondas positivas de esperança em dias melhores, vi propostas sendo lançadas para conseguirmos uma nova realidade para o secretariado, estudantes se encontrando, docentes refletindo suas práticas, profissionais valorizando sua atuação, discentes mostrando que são fortes e o amor pairando no ar.

Todas as mesas, todas (repito, todas), trouxeram conteúdos e falas importantes, aplicadas e contextualizadas para secretárias e secretários. Não era um sonho utópico sendo apresentado, mas um sonho daqueles que você sonha com os pés grudados no chão, onde o sensível caminha junto com o racional e não deixa você cair no erro de fantasiar a realidade, mas refletir sobre ela, em sua essência. Reflexões maduras e de extrema qualidade aconteceram. Contatos foram estabelecidos. Novas amizades surgiram. Novas parcerias foram pensadas. Tudo pensando no bem-estar da profissão, essa tão maltratada pelo senso comum, mas tão linda e rica. 

E tudo isso aconteceu organizado por discentes de secretariado. Não foi uma equipe mega especializada em organização de eventos de grande porte, mas estudantes que dominam a excelência de tocar a humanidade do outro, por isso o sucesso do evento. Talvez, quando pensaram nele não tiveram noção do quão harmônico seria, talvez pensaram sim. Foi rico para eles, foi riquíssimo para todos os participantes. Não foi mais um evento, foi o evento, aquele único, com identidade e características tão próprias que dificilmente, conseguiremos replicar. Acho que no fim, é melhor se apegar nas lembranças boas que ficaram e nos frutos que virão, e virão, virão muitos e muitos, que os profissionais de secretariado saibam recebê-los de braços abertos, e não tentar copiá-lo, pois será difícil.

Hoje voltei para Brasília renovado, com o coração cheio de saudades, de pessoas, de momentos e de locais. Meu coração veio cheio do Secretariado da UFPE. Já fazem parte de minha história. Quando entrei no avião, o desejo era de chorar, pela saudade, e pelo sentimento de gratidão a Deus por ter me permitido viver essa experiência tão única. Meu coração estremeceu de alegria pelo amor que encontrou em outros corações. Sorri e agradeci a Deus pela vida de todos que tive a honra de conhecer e por ter renovado as minhas forças e energias, de uma forma tão sublime e doce. Ele em sua eterna misericórdia esteve ali, pairando no ar e tocando as pessoas tão amorosamente que foi difícil resistir à onda positiva, ela penetrou pelos poros e nos mostrou o real sentido do secretariar e o real sentido do amor, do amor a vida e a esperança em dias melhores.

P.S.: Queria ter feito um texto com detalhes técnicos sobre o evento, mas seria loucura de minha parte não falar sobre o que os poros sentiram. O evento foi extremamente organizado, erros pequenos não conseguiram apagar a excelência dele. Mas acredito eu que o brilho estava em outros aspectos, aspectos esses ligados mais ao sensível, a um discurso humanizado, emancipador e empoderador por trás do fazer secretarial. Foi nisso que me apeguei. Enfim, que venha o ENESEC 2019, que por sinal será em Brasília. Mais a frente venho com mais informações sobre ele. 

Gratidão!

Comentários

  1. Aguardaremos carinhosamente as informações sobre o ENESEC 2019!
    Que bom saber que será aqui. Excelente notícia para as secretárias apaixonadas de plantão.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Compartilhe conosco a sua opinião.

Postagens mais visitadas deste blog

Desventuras em série: sobre o Decreto nº 9262/2018 que extingue cargos e veta concursos

Para uma concepção crítica das técnicas secretariais: quando o exercício profissional vai além das rotinas administrativas

Secretariado X Assessoria: uma breve reflexão sobre a nomenclatura da profissão