Livre para ser você



Vamos falar de “#modinhas”?
Tema polêmico esse, né?! Mas necessário ser tocado.
Não é segredo para ninguém que, desde os primórdios da sociedade, vivemos uma cultura de padrões, seja de comportamento, atitude, vestimenta… #whatever
Esses padrões vêm ditando moda no mundo e ditando quais são as atitudes aceitáveis, os produtos desejados e o comportamento bem visto… consequentemente, esses padrões vêm moldando o ser humano que por sua vez faz de tudo para estar bem visto e agregado aos grupos sociais.
Nesse cenário, os blogs, sites especializados, programas televisivos e páginas nas redes sociais vêm dizendo para a gente, dia e noite, o que é #bacana, #cool, #legal, #damoda, #novidades e #MaisUmMonteDeCoisas. As vezes fazendo um marketing velado de determinado produto (não julgo o simples fato de fazer marketing de um produto, julgo e condeno quando as pessoas influenciam uma infinidade de outras pessoas a comprarem algo que não é de qualidade, levando a um gasto desnecessário e mal empregado), outras vezes dizendo o que você necessita ser ou ter para estar na moda ou ser um pessoal #cool e em outros momentos ditando regras e padrões baseados em uma única perspectiva somente (como a de que nariz bonito é nariz fino; que cabelo bonito é cabelo liso ou com cachos bem definidos; que sorriso bonito é aquele com os dentes certinhos e brancos a ponto de brilhar; que sardas, pintas e marcas de idade não são legais e necessitam ser tampadas por uma base #MegaPotente; que rosto bonito e harmônico é o de formato oval, pois #NãoNecessitaDeCorreções; que sobrancelhas bonitas são as arqueadas e grossas; dentre tantos outros padrões).
Em muitos casos, a solução é corrigir a falha ou o erro… #WHATS? Para eu ser bonito ou bonita eu preciso desqualificar minhas qualidades e características pessoais em prol de um padrão que não se adequa à realidade da maior parte do povo brasileiro? #NAHIM #NO #NÃO #JAMÉ.
Em outros casos, a solução é juntar dinheiro e desfalcar em outras áreas de minha vida para comprar um bem que talvez não atenda a minha necessidade em totalidade… #WHATS? Para eu ser aceito ou aceita como uma pessoa #atualizada, necessito vestir isso ou aquilo, usar a base e maquiagem da marca tal, usar o tênis tal, a cinta da moda que deixa a cintura mais fina do que tudo (qual o problema com uma cintura gorda? Qual o problema com uma cintura mais cheia? Se a saúde da pessoa está em dia, a resposta é #NenhumProblema), dentre outras coisas.
E nesse negócio muitas pessoas entram em depressão, stress, se matam, entram em dívidas eternas e mais um monte de problemas. E para quê isso? Para ser a pessoa #antenada que determinado/a blogueiro/a, youtuber, site de moda ou celebridade disse. Tudo em prol de uma cultura de consumo, de exclusão e de desqualificação da diversidade e diferenças humanas.
É preciso que as pessoas estejam atentas, alertas e mais importante que isso: MOTIVADAS CONSIGO MESMO. Somos lindos demais, seja com o nariz fino ou largo, com o cabelo com cachos definidos ou não, com o cabelo liso, com a barba arrumadinha ou mal feita, com a sobrancelha arqueada ou caída, gordinho, malhado, ou magro… enfim, SOMOS LINDOS, SOMOS PERFEITOS… Porque assim O Criador nos fez: #PERFEITOS.
Já dizia a grande pensadora contemporânea Lady Gaga: “God no mistakes…” (Deus não comete erros).

Reflita sobre isso.
Bjinhos no coração #S2


P.S.: Esse blog valoriza quem você é, damos dicas de maquiagem e vestimentas, sempre tomando cuidado para fazer sugestões que valorizem os diferentes tipos de perfis existentes, sem ditar padrões de beleza.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Para uma concepção crítica das técnicas secretariais: quando o exercício profissional vai além das rotinas administrativas

Secretariado X Assessoria: uma breve reflexão sobre a nomenclatura da profissão

Uma carta de orgulho, admiração e perdão